top of page
DD.png

O que é o MG

O nosso trabalho é criar inspiração e promover sonhos através de conteúdo de moda, imagem, beleza e negócios; conteúdos autênticos e cuidadosamente selecionados.

Por que fazemos

Através de nosso trabalho, criamos campanhas estratégicas com marcas que compartilhem os nossos valores. Hoje, com 23 anos de trabalho sendo que 13 são no on-line, temos como clientes e parceiros diversas empresas. tanto em Brasília quanto no Brasil. 

Como fazemos

Podemos comunicar a sua mensagem através de criação de conteúdo, com a exposição da sua marca em nossos canais, seja através de posts no blog ou em nossas mídias sociais.

Além disso, podemos oferecer uma mistura de ambas as soluções para efetivamente atingir seu público-alvo e contar a história da sua marca da forma mais adequada.

Soluções de Negócios

Leve o nosso conhecimento para a sua empresa ou sua marca, através de Palestras e Treinamentos Empresariais. 

Nossa Consultoria Empresarial é personalizada, e temos grupos VIP para um maior acompanhamento e direcionamento.

Risco de infarto em mulheres aumenta na pós-menopausa



 Após os 40 anos, o risco de doenças cardiovasculares aumenta, mas depois dos 50, quando a mulher normalmente entra na menopausa, ele cresce ainda mais

As doenças cardiovasculares assumiram um papel predominante como a principal causa de morte entre mulheres, tanto no Brasil quanto globalmente, totalizando impressionantes 8 milhões de óbitos anuais. Segundo dados do Ministério da Saúde, anualmente, 20 mil mortes são registradas devido a esses problemas, sendo o Acidente Vascular Cerebral (AVC) e o infarto as duas principais causas. No cenário brasileiro, a gravidade da situação é evidente, com uma em cada cinco mulheres adultas enfrentando o risco iminente de desenvolver doenças cardiovasculares, sendo o infarto mais letal para mulheres em comparação com homens.

Para a cardiologista e eletrofisiologista, do Instituto do Coração de Taguatinga (ICTCor), Edna Marques, o climatério (período de transição da fase reprodutiva para a fase de pós-menopausa) está relacionado ao aumento do risco cardiovascular, já que, neste período, ocorre uma redução da produção hormonal pelos ovários, marcando o fim da função reprodutiva da mulher.

"Sabemos por meio de diversos estudos, que os hormônios femininos, especialmente o estrogênio, têm influência em vários sistemas do organismo, não se limitando ao sistema reprodutivo", pontua.

A médica ressalta que o estrogênio desempenha um papel crucial no sistema cardiovascular, promovendo a formação de novos vasos sanguíneos, reduzindo níveis de triglicérides e LDL, além de aumentar os níveis de HDL, trazendo uma proteção contra doença coronariana verificada na mulher.

Fatores de risco

A cardiologista destaca que as mulheres enfrentam um aumento contínuo nos riscos de doenças cardiovasculares, com 40% apresentando circunferência abdominal elevada, mais de 20% sendo fumantes, 18% ex-fumantes, 23% com pressão arterial elevada e 21% com alterações nos níveis de colesterol. Além disso, histórico familiar, doenças inflamatórias, autoimunes e obesidade aumentam a predisposição a problemas cardíacos. A combinação perigosa de anticoncepcionais e tabagismo é comparada a uma "bomba-relógio".

O sedentarismo é apontado como fator de risco, pois a atividade física favorece a dilatação dos vasos sanguíneos, auxiliando no controle de peso, pressão arterial e frequência cardíaca. Por outro lado, o estresse é ressaltado como relevante, desencadeando a liberação de hormônios que elevam a pressão arterial e a frequência cardíaca, podendo resultar em eventos cardíacos graves. “O acúmulo de papéis na vida da mulher, aliado ao ritmo acelerado, propicia hábitos pouco saudáveis, como sedentarismo e má alimentação, contribuindo para obstrução das artérias coronárias e aumentando o risco de infarto ou derrame", alerta a médica cardiologista Edna.

Atenção aos sintoma

Em geral, as mulheres, conhecidas por sua maior tolerância à dor, muitas vezes acabam negligenciando sinais indicativos de problemas cardíacos devido à sobrecarga de tarefas diárias. A cardiologista alerta que algumas experimentam dores nas costas, no estômago e náuseas, interpretando erroneamente esses sintomas como eventos pontuais, quando na verdade podem ser indicativos de desenvolvimento de problemas cardíacos. A médica destaca a importância de práticas preventivas, como a monitorização regular da pressão arterial e dos níveis de colesterol. Além disso, ressalta que sintomas como desconforto torácico ou dores não devem ser negligenciados, enfatizando a necessidade de buscar avaliação médica imediata para um diagnóstico preciso.

5 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page