top of page
DD.png

O que é o MG

O nosso trabalho é criar inspiração e promover sonhos através de conteúdo de moda, imagem, beleza e negócios; conteúdos autênticos e cuidadosamente selecionados.

Por que fazemos

Através de nosso trabalho, criamos campanhas estratégicas com marcas que compartilhem os nossos valores. Hoje, com 23 anos de trabalho sendo que 13 são no on-line, temos como clientes e parceiros diversas empresas. tanto em Brasília quanto no Brasil. 

Como fazemos

Podemos comunicar a sua mensagem através de criação de conteúdo, com a exposição da sua marca em nossos canais, seja através de posts no blog ou em nossas mídias sociais.

Além disso, podemos oferecer uma mistura de ambas as soluções para efetivamente atingir seu público-alvo e contar a história da sua marca da forma mais adequada.

Soluções de Negócios

Leve o nosso conhecimento para a sua empresa ou sua marca, através de Palestras e Treinamentos Empresariais. 

Nossa Consultoria Empresarial é personalizada, e temos grupos VIP para um maior acompanhamento e direcionamento.

Chocolate dá espinha? Dermatologista explica se há relação entre o alimento e o problema de pele




Quem nunca ouviu a célebre recomendação "evite chocolate, ele causa espinhas"? Esta afirmação, amplamente difundida e respeitada, costuma ecoar especialmente durante os festejos pascais ou diante da tentação de saborear uma deliciosa barra de cacau. No entanto, surge a indagação: há efetivamente uma conexão direta entre o consumo de chocolate e o surgimento das indesejadas espinhas? Antes de abdicar definitivamente desse prazer culinário, urge investigar essa questão sob o prisma científico. 

A acne, afligindo a pele de aproximadamente 80% dos jovens brasileiros com idades entre 15 e 25 anos, conforme dados do Ministério da Saúde (MS), é uma condição corriqueira na juventude, mas não raro estende sua presença da infância à idade adulta. Nesse contexto, a dermatologista Paula Luz Stocco aproveita o momento em que o chocolate assume protagonismo nas mesas para esclarecer como esse alimento pode impactar na aparição das temíveis espinhas. 

“Nós observamos que a relação entre a dieta e a acne tem sido um tema de interesse e debate na comunidade científica por muitos anos. Tradicionalmente, o consumo de alimentos ricos em gorduras e açúcares, como o chocolate, foi associado ao aumento da incidência de espinhas. No entanto, estudos mais recentes têm sugerido que outros fatores, como o consumo de laticínios, podem ter um impacto ainda maior nesse aspecto”, explica a dermatologista. 

Paula conta que o chocolate, particularmente o chocolate ao leite, contém ingredientes que podem potencialmente desencadear ou piorar a acne. O açúcar presente no chocolate pode aumentar os níveis de glicose no sangue, levando a um aumento na produção de insulina. Essa elevação nos níveis de insulina pode estimular as glândulas sebáceas a produzirem mais sebo, o que pode obstruir os poros e resultar no surgimento de espinhas. 

Além disso, o chocolate ao leite também contém leite e seus derivados, que são fontes de hormônios e proteínas que podem influenciar a saúde da pele. O leite, em particular, contém hormônios como o IGF-1 (fator de crescimento semelhante à insulina), que pode estimular o crescimento celular e a produção de sebo, contribuindo assim para a formação de espinhas. Fora isso, as proteínas do leite, como a caseína, podem desencadear processos inflamatórios no organismo, o que também está relacionado à acne.

 “A acne é uma condição dermatológica comum que afeta as glândulas sebáceas da pele. Essas glândulas produzem uma substância oleosa chamada sebo, que tem a função de lubrificar a pele e os cabelos. No entanto, em certas situações, como durante a adolescência ou devido a alterações hormonais, a produção de sebo pode aumentar, levando à obstrução dos poros e ao desenvolvimento de lesões características da acne. É importante ressaltar que nem todas as pessoas que consomem chocolate ou laticínios desenvolvem acne. A susceptibilidade à acne pode variar de pessoa para pessoa, sendo influenciada por uma combinação de fatores genéticos, hormonais, ambientais e de estilo de vida. Por exemplo, indivíduos com predisposição genética à acne podem ser mais sensíveis aos efeitos do consumo de certos alimentos”, conta a especialista. 

A dermatologista explica ainda que a higiene da pele, o uso de produtos adequados para o cuidado da pele e a adoção de um estilo de vida saudável também desempenham um papel crucial na prevenção e no tratamento da acne. Consultar um dermatologista é fundamental para avaliar o tipo de pele, identificar possíveis gatilhos alimentares e recomendar o melhor tratamento e cuidados para cada caso específico. 

Então está proibido comer chocolate? 

A dermatologista desmistifica a ideia de que o chocolate é o vilão principal do surgimento da acne. Ela esclarece que, embora o chocolate não seja a causa principal da acne, optar por chocolates com menor teor de açúcar e incentivar o consumo de chocolates com percentual maior de cacau pode ser uma opção benéfica para algumas pessoas. 

“É importante considerar a introdução de alimentos com baixo índice glicêmico, como grãos integrais, frutas e vegetais na dieta. Fora isso, para algumas pessoas, o consumo de laticínios, especialmente o leite, pode estar relacionado ao aumento da acne devido aos hormônios e proteínas presentes nestes produtos. Reduzir o consumo de laticínios ou optar por alternativas como leites vegetais pode ser uma estratégia a considerar para quem tem predisposição ao problema na pele”, alerta. 

Para finalizar, a médica recomenda evitar alimentos processados e ricos em gordura saturada, que podem desencadear processos inflamatórios no organismo e afetar a saúde da pele. Uma dieta equilibrada, rica em alimentos naturais, integrais e proteínas magras, é fundamental para manter a pele saudável e reduzir a incidência de acne.

2 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page